FORÇA MOTRIZ

Somos Força Motriz, Pensamentos
Vagando no Éter da comunicação
Colhendo palavras, sentimentos
Semeando Amor em pura doação.

Encontrei a ti e junto com estes versos
Que são frutos desta minha emoção,
Traduzindo carinho à todos por certo
Espero tocar bem de leve teu coração.

Tú, que com amizade me homenageias
Infundindo em mim, esta gratidão
Certamente de mim, tu granjeias

Um lugar que é só teu e com razão.
Apesar da distância que nos permeia
Está aqui, no fundo do meu coração.


Você é o visitante nº

segunda-feira, 30 de abril de 2012

As 9 respostas de Tales de Mileto

As 9 respostas de um sábio.
Tales de Mileto nasceu em Tebas no ano 625 AC, morreu em Atenas em 547 AC. Aos 78 anos. Filósofo grego, fundador da Escola Jônica, considerado como um dos 7 sábios da Grécia antiga. Matemático,astrônomo e um grande pensador. Foi o primeiro a fazer a previsão de um eclipse e a medir com precisão a altura das pirâmides , através da sombra que projetavam. Foi considerado o pai da Geometria. Um dia, colocaram-no a prova, fazendo-lhe 9 perguntas. Ei-las: (Tente responder antes de ler as respostas logo abaixo)
Perguntas:
1- O que é mais antigo?
2- O que é mais belo ?
3- Qual é a maior de todas as coisas?
4- O que é mais constante?
5- Qual é a melhor de todas as coisas?
6- Qual é a coisa mais rápida de todas?
7- Qual é a mais forte de todas as coisas?
8- O que é mais fácil de todas as coisas?
(Mas quando chegou a 9ª pergunta, nosso sábio falou um paradoxo, quiçá não entendido por seu mundano interlocutor. A pergunta foi esta:)
9- O que é mais difícil?
Respostas:
R1 - Deus! Porque sempre existiu.
R2 - O universo! Porque é a obra de Deus.
R3 - O espaço! Porque contém tudo do Criador.
R4 - A Esperança! Porque permanece no homem mesmo depois de ter perdido tudo.
R5 - A Virtude! Porque sem ela, não existiria nada de bom.
R6 - O pensamento! Porque nos permite em menos de um minuto, voar até o final do universo.
R7- A necessidade! Porque é com ela que o homem enfrenta todos os perigos da vida.
R8 - Dar Conselhos.
R9 - E o sábio Mileto replicou: “Conhecer-se a si mesmo.”

quarta-feira, 18 de abril de 2012

PRECEITOS DO YOGA
Quase todos os interessados sobre o Yoga, já ouviram falar que o significado da palavra YOGA, é UNIÃO. Que ela surgiu amais de cinco mil anos. Outros, estipulam, a mais de 15.000 anos. É considerada também, uma ciência. Que Hatha, Karma, Dinana, Bacti, Raja, Mantra e Tantra – Yoga, são os principais caminhos do Yoga. Já falaram que Astanga, refere-se aos 8 passos... Que seus principais elementos do Astanga, são denominados de: Yama, Nyiama, Ásana, Pránáyáma, Pratyáhara, Dhárana, Dhyána e Samadhi. E que todos esses elementos fazem parte das Dársanas, ou pontos de vista,ou ainda: Das Escolas Filosóficas do Hinduísmo. Já falaram sobre os principais pontos do Yama ou Abstenções, como: Ahinsá, Sathyá, Asteya, Bramacharyá, Aparigrahá e Yamáh. Porém essas proscrições são tão atuais e passaram tão despercebidas, que merecem uma reflexão sobre elas. Por exemplo: AHINSÁ – Não Agredir ! Eu agrido aos outros? Alguns mais ousados pensarão: Só em legítima defesa. Aparentemente não. Dirão outros. Porém quando opino a respeito de algo ou alguém e satirizo, mesmo brincando inocentemente, atinjo meu semelhante com uma observação eu em nada vai torná-lo melhor. Pois só deixamos ao nosso irmão, o sentimento de ser ele, uma criatura ínfima que jamais atingirá nosso patamar. Aí, estamos também agredindo. E se é o inverso? Se nós é que nos julgamos menores do que somos, para agradar alguém, em vez de procurarmos agradar a nós mesmos? Estamos também agredindo; e agredir é usar de violência. Mesmo que essa violência seja contra nós mesmos. SATHYÁ – Não Mentir ! Sob tantos aspectos infringimos essa norma, que torna-se difícil enumerá-las. Quando omitimos uma informação, quando diminuímos ou exageramos em algum relato: Também estamos mentindo. Mentimos até de forma generosa. Imagine-se visitando um doente em estado terminal. Sabemos que nada mais pode ser feito por aquela pessoa e com o intúito de dar-lhe um estímulo, dizemos: Ah! Estás bem melhor hoje ... (Santa Mentira...) ASTEYA – Não Roubar ! Quanto a este conceito, diremos: Desse, eu estou fora! Vejamos: Se vamos ao açougue comprar algum alimento, geralmente ficamos de olho na balança e se faltam algumas gramas, logo reclamamos: Olha o roubo... – Essa balança aí, heim ?... Outros revoltados, porém, tímidos, só pensarão: (Ladrão.) Mas se por acaso passa do peso, a nosso favor, pensamos: Ah! Está bem pesado! Esquecemos que nós é que estamos infringindo a Lei. Pois estamos levando além do que foi pago. O resto, são desculpas. APARIGRAHÁ – Não desvirtuar a sexualidade. Ainda bem recente, vimos em um programa bem conceituado, a entrevista de uma “garota de programa” , quando em sua narrativa, postava-se como uma analista ou psicóloga do sexo. Fazendo parecer, (a prostituição), uma atividade natural, corriqueira e útil ao ser humano. E nós? O que consideramos como natural ? Sexo oral... Sexo anal... Extraconjugal? Grupal? Ou virtual? (Hum... Melhor deletar. Deleta... Deleta.) E finalmente, YAMÁH – Não cobiçar ! A pergunta é: O que não cobiçamos? Se a cada imagem vista, acompanha um desejo. Desejamos comer... beber... arranjar namorada (o) parceira (o), bens de consumo, status... todo e qualquer movimento que fazemos é em função de um desejo. A forma como nasce esse desejo, é que o modifica para o conceito de cobiça. (Puxa vida, vou ter que rezar mais que o João, pra conseguir um lugar melhor que o dele lá no céu.) O que?... A vizinha comprou uma televisão de 32 polegadas? Ah, Não! Eu tenho que comprar, no mínimo uma de 50” (Não Cobiçar...) E dizer que isso foi escrito a mais de 5000 anos... É... Só estudando Yoga. Valdemir Costa.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

O Dedão do Valdemir

Historinha em cordel a 4 mãos.
Personagens: Sev., Val.,Al.,e Dam.

Sev.
Surgiu na minha coluna,
Uma  Espondilolistese,
Mas,um médico,com tese,
Destruiu a inoportuna.
Quero ser um centenário
Cheio de vitalidade,
Que ao sair do meu calvário,
Encontre a felicidade.

Val.
Não te preocupes caro irmão
Com o que teu médico disser.
Muitas das vezes inventam,
E falam o que lhes aprouver.
Surgem artroses, osteoporoses,
Outras oses e etc. e tal.
Se dos remédios aumentam as doses,
Nas finanças, lhe aumentamos o aval.
Mas pra aliviar seu padecer,
Coloco-me a sua disposição.
Se com massagem a dor arrefecer,
As suas ordens está o meu dedão.
Não vai nisso maldade alguma.
É apenas uma consideração.
Que por fraternal se apruma
Já que o tenho como grande irmão.
Se bem entender me faço,
É melhor parar por aqui.
Aceita um grande abraço,
Do amigo, Valdemir.

Al.  
Esse dedão tão suspeito,
Que aqui foi mencionado,
Será que não pode ser,
Pelo mindinho, trocado?

Desse  jeito, penso eu,
Será menor o estrago
Caso o dito se desvie
De onde for aplicado.


Dam.
Meu amigo Valdemir
Não o deixe escapulir...
Diga  ao seu Severino
Pra deixar de ser menino
Pra chegar ao centenário
Seu martírio ou calvário
Seu dedão é oportuno
E vai deixar ele no prumo.

Val.
Os apartes feitos por Dam e Al.
Que no meio da disputa entraram
Sem saber qual o foco  principal;
do que ouviram, logo maldaram.
Mas pra quem leu  até aqui,
Essa conversa aconteceu
Entre Severino,o doente,
E seu massagista, o Valdemir.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Dia de Balanço

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Deus é Amor, eu sou Amor. (segundo Spinosa)

(Acreditas que DEUS está em ti? Então escuta com o coração o que Ele te diz:)
“Para de ficar rezando e batendo no peito! O que Eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti. Para de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construístes e que acreditas ser a minha casa. Minha casa está nas montanhas, nos bosques nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso Meu Amor por ti. Para de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau. O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer. Para de ficar lendo supostas escrituras sagradas, que nada têm a ver Comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum livro! Confia em Mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho? Para de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem me incomodo, nem te castigo. Eu Sou Puro Amor. Para de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre–arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que Eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos os meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso ? Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti. Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta, seja teu guia. Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho. Nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas. Eu te fiz absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno. Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei. E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste... Do que mais gostaste ? O que aprendeste ? Para de crer em Mim – crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas a tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar. Para de louvar-me ! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja? Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam. Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido ?... Expressa tua alegria ! Esse é o jeito de me louvar. Para de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre Mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres ? Para que tantas explicações ? Não me procures fora ! Não me acharás. Procura-me dentro ... aí, é que Eu estou, batendo em ti. Baruch Spinoza. D